Como brinca a criança com 6 anos?

Com seis anos a criança já vai para a escola e esta será uma etapa de muitas mudanças. Vamos explicar-te como é a criança nesta idade e quais são os jogos que mais a apaixonam.

Como é a criança nesta idade?

Desenvolvimento físico e motor

Aos seis anos são várias as alterações físicas que veremos no nosso filho. Desde logo é provável que lhe comecem a cair os primeiros dentes de leite, o que o emociona muito.

Também nesta altura, como é extremamente ativo, pode emagrecer um pouco. Verás como não consegue parar de correr, de saltar e de cair, porque nesta idade são muito frequentes as quedas. Mas todo este movimento é fundamental para o seu desenvolvimento e as crianças que têm um estilo de vida sedentário apresentam um menor desenvolvimento a nível físico.

O habitual é que o controlo do esfíncter já seja total, tanto de dia com de noite, mas não nos devemos preocupar se ainda se produzir algum escape.

Desenvolvimento social e emocional

Aos 6 anos começa a escola e de dia para dia vai adquirindo novas obrigações e responsabilidades a que tentará fugir. Por isso há que explicar-lhe com instruções claras o que tem de fazer.

Por outro lado não devemos esquecer a importância do jogo, que é uma fonte de aprendizagem muito importante para a criança.

É importante que aprenda as normas básicas de comportamento tanto em casa como fora dela: atravessar a estrada, ter cuidado na piscina, falar só com pessoas conhecidas…

Os seus amigos são uma parte muito importante da sua vida, precisam de se sentir queridos e aceites. A amizade faz com que as crianças se sintam mais seguras, além de melhorarem as suas competências sociais.

Desenvolvimento cognitivo

Nesta idade as crianças sentem-se orgulhosas das suas capacidades e adoram que as elogiem (que bem que lêem, quão rápido aprenderam a fazer algo…).

Observaremos que a sua memória e capacidade de concentração aumentaram consideravelmente. É o momento de incutir-lhes alguns hábitos de estudo e devemos elogiá-las quando os conseguem aplicar no seu dia-a-dia.

É provável que comecem a ler sozinhas, que compreendam o que lêem e que se divirtam enquanto o fazem. Se queremos que o nosso filho seja um apaixonado da leitura é importante que veja que os seus pais também desfrutam da leitura.

Seguramente que vocês, pais de uma criança de 6 anos, consideram que está na hora de inscrevê-la numa atividade extracurricular – embora muitas crianças já as frequentem no jardim infantil. Neste sentido é importante coordenar as atividades que escolheram com o tempo livre para brincar, uma vez que há crianças com agendas repletas de atividades e com isso a única coisa que conseguimos é sobre estimulá-las. Esta sobre estimulação refreia a sua criatividade, a sua capacidade de planificação e, em muitos casos, a sua felicidade.

Ao aumentarem a sua perceção do mundo assusta-as o desconhecido, e pode acontecer que certas imagens que vêem na televisão ou na Internet lhes provoquem pesadelos.

Nesta idade a criança precisa de 11 a 12 horas de sono diário.

Os jogos e brinquedos de que mais gostam a partir dos 6 anos

As maquilhagens e disfarces das suas personagens favoritas continuam a ser uma paixão. Se o vosso filho é assim, ficará felicíssimo se tiver à sua disposição um baú ou caixote com materiais com que se possa disfarçar a qualquer momento.

Continuam entusiasmadas com as histórias, que já podem começar a ler por si mesmas.

Gostam de fazer construções em equipa, sobretudo puzzles ou jogos com muitas peças, e adoram os veículos mais complexos, incluindo os que são telecomandados.

Também é provável que comecem a colecionar coisas (cromos, autocolantes…) e estas coleções têm grande valor para elas – até que esteja na moda colecionar outra coisa qualquer ;).

Adoram ainda os jogos em que tenham que se mover, sobretudo se envolverem outras crianças: desportos vários, jogos em equipa, andar de bicicleta…

Não, não nos esquecemos dos jogos digitais, mas devemos recordar que são para momentos especiais, já que em excesso são tremendamente prejudiciais para as nossas crianças. Em seu lugar devem predominar os jogos que as fazem realmente divertir, sonhar, desenvolver a sua criatividade ou seja, os que as fazem crescer.